A Novela da Dieta Paleo 2

HERMAN 2

Dando continuidade à Novela da Dieta Paleo que iniciei no Post anterior, hoje vou contar como que o Dr. Herman Taller chegou a ela.

Apesar de médico o Dr. Herman era igual a qualquer outro homem gordo, e como a maioria deles lutava contra o excesso de peso desde a mais tenra infância.

O Dr. Herman começou a contar sua história pelo fim:

” – …descobri um meio para a maioria dos gordos emagrecer, um meio que provavelmente contraria quase tudo quanto se ouviu a respeito de emagrecimento, mas que é tão certo, tão exato como a ciência da química. Porque esta é precisamente a base desse novo método de nutrição: a bioquímica do corpo humano.”

E ele prossegue contando sua aventura contra o excesso de peso (que não é muito diferente da sua, da minha ou de qualquer outro gordo que você conheça):

“- Fui sempre um homem gordo. Tenho 1,79m de altura, e já cheguei a pesar 120 quilos. Desde criança fui rechonchudo, e ainda conservo a desagradável lembrança de muitas vezes me chamarem, quando menino, de ‘Gordo’ ou ‘Gordinho’. A obesidade era comum em minha família: meu irmão e minha irmã eram gordos. Parecia que nada podíamos fazer contra a nossa gordura a não ser aceitá-la. Realmente naquela época apenas isso podíamos fazer. Quando entrei para a Escola de Medicina da Universidade de Pávia na Itália consultei alguns médicos a respeito de ‘dietas’ e consultei certo número de trabalhos médicos sobre nutrição. Havia dezenas de teorias, mas de acordo com meu ponto de vista, algo de errado existia em todas elas. Comigo nenhuma deu certo. Em Pávia todos comiam grandes quantidades de espaguete. A maioria dos outros alunos comiam espaguete e conservavam o mesmo peso. Eu sabia que bastava olhar para um prato de espaguete para engordar. Tanto quanto pude evitar comer espaguete e sobreviver na Itália, evitei. Durante todo o curso médico vivi com fome. Experimentei dietas em que apenas comia frutas cruas (Frugivorismo). Perdia assim alguns quilos, mas quando saia da dieta recuperava o que perdera e ainda ganhava alguma coisa. Por que abandonei tais dietas? Com uma regime permanente de frutas tornei-me fraco e nervoso. As frutas não eram suficientes para me sustentar. Ao terminar meu curso na Escola de Medicina pesava mais 16 quilos do que ao matricular-me. Ouve-se falar no mito do homem gordo e alegre. Eu era um gordo faminto e posso assegurar que nada havia de alegre em sentir fome ou ser gordo. (Realmente o número de pessoas gordas de quem já tratei dá-me certeza absoluta de que não há nada de alegre nas pessoas gordas.) Quando me formei em Pávia, pouco tempo antes de rebentar a Segunda Guerra Mundial, o governo chileno comunicara que precisava bastante de médicos. Compreendi que minha terra natal a Rumânia seria dentro em pouco invadida pelos nazistas, de maneira que dei uma meia volta pelo mundo e comecei a exercer minha profissão entre gente pobre, numa pequena clínica do governo chileno, denominada Hospital São Vicente de Paulo. No Chile encontrei uma alimentação habitual inteiramente diversa da que conhecera quando criança e na Escola de Medicina na Itália. O Feijão preto era seu alimento básico; para o Chile ele é o mesmo que o espaguete para a Itália. Mas, fosse o feijão ou o espaguete ou quase tudo o mais, o efeito parecia ser o mesmo: no meu corpo a comida transformava-se em gordura.O Dr. Edwin Reed chefe da divisão médica da South American Shipping Company me deu uma sugestão: ‘- Vá ser médico de bordo. Em um navio você poderá seguir um plano nutricional rígido, uma dieta severa. Deste modo terá meios de controlar o seu peso.’ Aceitei a sugestão e uma semana depois embarquei no Chile para o Equador no navio de passageiros Mapocho. Eu falava seis línguas – francês, espanhol, português, italiano, alemão e rumeno – e jogava bridge, de modo que não tive dificuldades em arranjar amigos. Era agradável a rotina de um médico de bordo, mas pelo menos a mim fazia engordar. Tanto no mar como em terra eu não conseguia descobrir um meio de satisfazer minhas necessidades nutricionais que não me fizesse ao mesmo tempo engordar. Só iria mesmo começar a descobrir o novo método de nutrição anos depois, quando clinicava nos Estados Unidos.”

Não perca o próximo capítulo da Novela!
Leia meu próximo post neste site.

Por você, por sua saúde e por um emagrecimento rápido e eficaz.
                                      Dr. Marco Natali
Seguir os procedimentos básicos é bom,
mas seguir o exemplo de quem já chegou lá é ainda melhor.

Para ver depoimentos de pessoas que emagreceram
clique aqui.

Para saber quem é o Coach Dr. Marco Natali clique aqui.

Divulgue este Blog e esta oportunidade de Consultoria Gratuita para seus amigos e amigas, vamos ajudar a quem precisa.

Deixe um comentário abaixo por favor.

 

Para retornar à página inicial clique aqui.