A Teoria das Calorias não funciona

CALORIASPor que a teoria das calorias e da diminuição da ingestão calórica não tem nenhuma base científica e não funciona?

Não é que calorias não existam, existem sim, mas não podem nem devem ser utilizadas como parâmetro para o processo de emagrecimento como você verá a seguir.

A maior mentira que já lhe contaram a respeito do processo de engordar que lhe é enfiada pela garganta abaixo por maus especialistas é que você engorda porque ingere calorias demais, ou ingere mais calorias do que as que gasta em suas atividades diárias, ou come demais ou se exercita de menos e por isso está gordo e para emagrecer deve fazer o contrário disso.

Tudo isso é balela, não passa de uma grande mentira carente de qualquer evidência científica.

E isso é facilmente comprovável pelas evidências que vou arrolar logo a seguir.

Movida por causas políticas e interesses financeiros escusos tais afirmações estão tão disseminadas por instituições consideradas respeitáveis que até mesmo os especialistas bem intencionados, mas mal informados, as repetem a seus pacientes.

Vejamos alguns exemplos em que grandes instituições tentam convencer você disso:

A OMS – Organização Mundial de Saúde criou o paradigma do Balanço Calórico em que afirma que o processo de engordar consiste em um desequilíbrio entre a quantidade de calorias ingeridas e a quantidade de calorias gastas nas atividades diárias.

Segundo o paradigma do Balanço Calórico engordamos quando ingerimos mais calorias do que aquelas que gastamos.

O oposto também seria proporcional, ou seja se gastássemos mais calorias (praticando exercícios por exemplo) do que a quantidade de calorias que ingerimos na alimentação, emagreceríamos.

O Instituto Nacional de Pesquisa Médica e Saúde da França afirma que o sobrepeso e a obesidade resultam sempre de um desequilíbrio entre o consumo e o gasto de energia.

O Ministério de Saúde da Alemanha diz: O sobrepeso é o resultado de um excesso de energia consumida em comparação com a energia gasta.

O Conselho de Pesquisa Médica do Reino Unido afirma que embora o aumento de obesidade não possa ser  atribuído a nenhum fator isolado sua causa é o desequilíbrio entre a energia consumida e a energia gasta.

O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos diz que a questão do peso é uma questão de equilíbrio que consiste em equilibrar o numero de calorias que se consome com o numero de calorias que o corpo usa ou queima.

Todas essas afirmações são falácias teórica e isso foi comprovado em inúmeras experimentações práticas (É a teoria versus a prática ou se preferir a opinião versus os fatos).

 A questão é que elas “parecem” ser verdadeiras e lógicas, portanto as aceitamos sem questionar, sem buscar as evidências que as comprovem ou que as eliminem de vez.

Vamos a algumas evidências, sempre lembrando que contra fatos não existem argumentos:

O mito do exercício como fator de consumodas calorias a mais que ingerimos:

Primeira evidência:

Um respeitado fisiologista do exercício coautor de obras publicadas pela Associação Americana do Coração e pelo Colégio Americano de Medicina Esportiva declarou que ele era baixo, careca e gordo quando começou a praticar corrida de longa distância nos anos setenta e que agora, ele continuava baixo e careca, mas estava mais gordo.

Desde o inicio dessa prática regular de exercícios ele ganhou    treze    quilos,    mesmo    tendo    corrido    por  aproximadamente 130 mil quilômetros o equivalente a três voltas ao redor da terra.

Segunda evidência:

Como afirma o Gary Taubes em seu excelente livro POR QUE ENGORDAMOS (Publicado no Brasil pela L&PM EDITORES – cuja leitura recomendo a você):

Há cinquenta anos um em cada oito ou nove norte-americanos teria sido considerado oficialmente obeso e hoje é um em cada três.

Ou seja, hoje muito mais pessoas se exercitam do que há cinquenta anos e existem muito mais obesos hoje do que naquele tempo.

Terceira evidência:

 Até mesmo eu fui vitima dessas crenças falsas.

Há uns vinte anos quando ministrava aulas de Pós Graduação pelo INPG – Instituto Nacional de Pós Graduação na Faculdade de Economia em São José do Rio Preto “fui hospedado” em um hotel cuja pia do banheiro não dava vazamento à água da torneira e ficava sempre cheia.

Observando o problema notei que a torneira era de uma bitola bem maior que o ralo e dava entrada a uma quantidade de água na pia que não conseguia ser escoada pelo ralo que era de uma bitola mais estreita.

A solução consistia em abrir a torneira apenas parcialmente de forma que a quantidade de água escoada  fosse proporcional à quantidade de água que estava entrando.

Ao observar isso vi semelhança com o paradigma que havia aprendido a respeito do equilíbrio entre as calorias ingeridas e as calorias gastas.

Parecia óbvio, parecia lógico e por muito tempo acreditei nisso, sem buscar evidências que confirmassem essa afirmativa incorreta no que tange ao processo de engordar e emagrecer.

No entanto se você refletir verá que há muito pouco tempo atrás a humanidade não sabia o que eram calorias, a humanidade se exercitava bem menos e havia muito menos casos de obesos e de diabéticos.

Isso comprova que a teoria sobre calorias e sobre aumentar as atividades físicas para controlar o peso não funciona na pratica.

Se você examinar as fotos de seus antepassados verá que todos (com raras exceções) eram magros, ao contrário de seus parentes de hoje e no tempo dos seus antepassados não havia teorias sobre calorias e nem incentivos ao aumento de atividades físicas como nos tempos de hoje.

Nunca existiram tantas pessoas fazendo dietas e se exercitando como nos dias de hoje e nunca tivemos em toda a história um maior numero de gordos e diabéticos como temos hoje.

Pare de se iludir com a falácia de comer menos e se exercitar mais e busque as evidencias do bom senso, da biologia e da ciência comprovada.

Por que contar calorias seria importante se éramos muito mais magros e saudáveis quando a teoria das calorias ainda nem havia sido inventada?

Quarta evidência:

É sabido que hoje consumimos 300 calorias a mais do que as pessoas dos anos setenta.

Isso significa que nos 45 anos que se passaram desde os anos setenta (conta feita no ano de 2015) consumimos quatro milhões novecentos e vinte e sete mil e quinhentas calorias a mais do que estávamos acostumados a consumir naquele tempo!

Se a proporção matemática que aprendemos na teoria das calorias fosse verdadeira, cada um de nós deveria pesar mais ou menos uns 500 quilos hoje, mas isso não é verdade.

Biologicamente falando nosso corpo elimina mais quando ingerimos mais e elimina menos quando ingerimos menos.

Mas isso só acontece quando temos corpos saudáveis.

Quinta evidência:

Voltando à tal teoria da pia, quando o ralo de saída é proporcional à bitola da alimentação da torneira que seria o correto em termos da biologia, estamos saudáveis e o que quer que comamos será eliminado de forma equilibrada.

A única coisa que poderia evitar que esse equilíbrio biológico ocorresse seria a hipótese de o cano de vazão (eliminação) na continuidade do ralo estivesse danificado ou obstruído por algum tipo de lixo que o processo digestivo não conseguisse lidar.

E é aí que está a resposta que estamos buscando como veremos em um próximo artigo que publicarei neste Blog.

A pia só entope quando colocamos nela alguma coisa que não deveria estar ali.

 No momento que escrevo esta parte deste curso estou hospedado no Infinity Blue Resort no Balneário Camboriú e na parede acima do vaso sanitário do apartamento em que me hospedo tem um aviso que diz assim: Please, do not flush toilet paper down the toilet (por favor não jogue papel higiênico no vaso sanitário).

No entanto muita gente coloca dentro de si, através da alimentação, coisas piores do que papel higiênico e isso com certeza entope a “pia” orgânica e causa danos consideráveis ao processo biológico do corpo e é isso e não as calorias que se ingere que tornam você gordo.

Note bem que quando isso acontece qualquer quantidade de água que se coloca na pia mesmo que seja muito pouco fará o nível de água subir e continuar alto.

Dizendo de outra forma: se você entupiu seu sistema biológico ingerindo o que não deve, mesmo que seja muito pouco, vai engordar você e fará com que continue gordo até que elimine de sua dieta esse lixo que causa a obstrução.

Logo mais em outro artigo vou lhe dizer que lixo é esse e tudo vai ficar mais fácil.

Sexta evidência:

 A teoria do equilíbrio calórico não ajuda você em nada, apenas lhe diz que se você fechar um pouco mais a torneira a vazão se tornará equivalente à proporção que você está ingerindo e tudo ficará bem.

Ficará bem uma ova!

Isso apenas sugere que você diminua o alimento que ingere e passe privação comendo menos!

A resposta não está em diminuir a proporção daquilo que se come, em jejuar, em passar fome.

A solução consiste em eliminar a obstrução, parar de consumir aquilo que traz problemas e resolver a questão de uma vez por todas.

Isso implica entender como a coisa funciona, isso exige estudo e pesquisa, exige não se contentar com opiniões seja de amigos ou de especialistas.

Não se contente com opiniões, busque os fatos.

Comer menos (fechar a torneira) não resolve o problema, não conserta a obstrução da pia.

Nosso corpo não terá que passar por esse problema se permitirmos que entre nele apenas o que foi feito para entrar.

Faça uma distinção entre alimento e comida.

É por isso que faço uma distinção entre alimento e comida.

Comida é qualquer coisa que você consiga ingerir, alimento é aquilo que é correto ingerir.

Se você ingere apenas alimentos e não comidas, jamais ficará gordo e raramente ficará doente (pelo menos não pelos ingredientes que esteja ingerindo através de sua dieta).

Da mesma forma que nenhuma quantidade de água entupirá uma pia (que não esteja entupida) assim também nenhuma quantidade de alimento (não de comida) irá entupir seu sistema biológico ou tornar você gordo.

Você não deve se preocupar com quantidade e sim com a qualidade daquilo que come.

        Falarei disso em breve.

Para ver depoimentos de pessoas que emagreceram clique aqui.

Para saber quem é o Coach Dr. Marco Natali clique aqui.

Para que possamos entrar em contato e agendar um horário disponível da Consultoria Gratuita, basta clicar nas palavras em vermelho e enviar seus dados.

A Consultoria Gratuita é realizada em uma sessão on-line de 50 minutos.

          Divulgue este Blog e esta oportunidade de Consultoria Gratuita para seus amigos e amigas, vamos ajudar a quem precisa.

Para retornar à página inicial clique aqui.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *