Magrões que comem mais que os gordos

MAGROESPor que tem uns “magrões” que comem mais que qualquer gordo e continuam magros?

Comem que nem uns hipopótamos e nunca deixam de ser magros como lagartixas.

Nós os gordos (ou ex gordos) costumamos ser otimistas e ter bom animo, eu pelo menos me vejo assim e eu não me conformava com essa história de haver magrões que comiam mais que eu e eram magros e pesquisava muito para encontrar uma solução, pois estava convencido que para tudo há uma solução, só não há solução para a morte.

Acredito que eu seja a melhor opção que você dispõe para encontrar essas soluções.

PRIMEIRO porque eu já fui bem gordo, ao contrário de alguns “magrões” que sempre foram atléticos, alguns até são formados em educação física e outros até são “personal trainer” e acham que entendem os gordos e até criam métodos de emagrecimento sem nunca terem enfrentado os problemas que nós gordos enfrentamos.

 SEGUNDO: Porque ao contrário da maioria dos especialistas que você já consultou eu já fui gordo e tenho dezenas de anos de histórico de dietas anotados dia a dia que comprovam isso.

Nenhum especialista tem essas anotações fundamentadas em vivência e experimentação pessoal como eu tenho!

Acredite só um gordo pode entender outro gordo.

RESPOSTA À QUESTÃO DOS MAGRÕES:

       Por que tem uns “magrões” que comem mais que qualquer gordo e continuam magros? Comem que nem uns hipopótamos e nunca deixam de ser magros como lagartixas.

Eu poderia enrolar você falando das diferenças que existem entre os indivíduos e que não existem dois gordos iguais ou então utilizar o jargão médico mencionando a  tireoide, os hormônios, as alergias alimentares, e outras peculiaridades que não são soluções apenas desculpas ao processo engordativo.

Não que todas essas argumentações não possuam suas razões, mas estamos buscando soluções e não desculpas.

E a resposta para a primeira premissa (que não resolve o nosso problema, mas pelo menos dá nome aos bois) é que o metabolismo se manifesta através de dois processos principais diferentes.

Mas primeiro entenda o que é metabolismo:

Metabolismo é uma palavra derivada do grego “Metabolé” que significa “modificação, mudança, transformação” e serve para descrever os processos que causam as modificações que ocorrem em nosso corpo a partir da atuação das enzimas dos alimentos. Dos vários mecanismos atuando no Metabolismo dois deles nos apresentam a solução para entender os Magrões. Esses mecanismos são o Anabolismo e o Catabolismo. O Anabolismo engloba os processos de síntese e aproveitamento e o Catabolismo engloba os processos de alijamento e eliminação dos alimentos ingeridos.

Ou seja, pessoas anabólicas tem recursos mais proveitosos e adequados ao aproveitamento ao passo que pessoas catabólicas têm deficiências em aproveitar mais eficazmente os alimentos ingeridos.

Na antiguidade histórica, havia escassez e com um metabolismo ineficiente no aproveitamento dos alimentos ingeridos ser catabólico era praticamente estar condenado à morte.

Naquela época ser anabólico assegurava a sobrevivência da espécie, pois apenas os que eram capazes de assimilar melhor o que ingeriam tinham condições de sobrevivência diante dos parcos recursos alimentares disponíveis.

Com o advento da agricultura que surgiu há mais ou menos dez mil anos as condições de suprimento de alimento melhorou significativamente e as características anabólicas que eram uma bênção no tempo das cavernas assegurando a sobrevivência das espécies passou a ser condição desnecessária que vitima aqueles que aproveitam melhor os alimentos que ingerem.

Reflita comigo: Nos tempos “pré históricos” os homens viviam da caça e de folhas, frutos e tubérculos que encontravam pois não cultivavam nada.

Com o advento da agricultura passaram a dispor de mais recursos alimentares mesmo quando a caça rareava.

Mas até os tempos modernos os recursos de apoio (geladeira, fogão, utilidades domésticas) não existiam e então não havia como armazenar ou preservar a comida das modificações climáticas, como nos dias de hoje.

É fácil perceber que nos tempos modernos os anabólicos são os gordos e os catabólicos são os magros.

Nos tempos antigos ser catabólico significava correr riscos maiores e ter menores chances de sobrevivência.

Ser anabólico significava ter maiores chances de sobrevivência e garantir a continuidade da espécie.

O anabolismo diante das carências alimentares dos tempos pré históricos não gerava gordos, gerava apenas indivíduos mais capazes de sobreviver e preservar a espécie.

Nas épocas posteriores, essa característica diante da abundância de alimentos passou a ser um castigo, pois predispunha às pessoas anabólicas o acumulo de gordura.

Por outro lado a condição que condenava os catabólicos no passado passou a premia-los na era moderna visto que aquilo que os incapacitava a sobreviver transformou-se em uma bênção nos dias modernos.

Ficou mais fácil entender por que os “Magrões” comem mais que a gente e continuam magros?

Para ver depoimentos de pessoas que emagreceram clique aqui.

Para saber quem é o Coach Dr. Marco Natali clique aqui.

Para que possamos entrar em contato e agendar um horário disponível da Consultoria Gratuita, basta clicar nas palavras em vermelho e enviar seus dados.

A Consultoria Gratuita é realizada em uma sessão on-line
de 50 minutos.

          Divulgue este Blog e esta oportunidade de Consultoria Gratuita para seus amigos e amigas, vamos ajudar a quem precisa.

Para retornar à página inicial clique aqui.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *